Você confia na internet que acessa todos os dias? Ou melhor, você conhece bem a internet que acessa todos os dias? E se a gente te dissesse que as coisas que você explora não chegam nem perto de tudo o que existe na rede? É isso mesmo. Certamente, seu uso diário de internet está ligado ao Google e limitado aos resultados que o buscador te oferece. Mas e o resto? Onde estão todos os conteúdos que nem o Google e nem quaisquer buscadores indexaram?

A ponta do Iceberg

Se, para você, a internet é algo parecido com o que falamos na introdução, é porque você, assim como a maioria das pessoas, vive sua experiência na internet limitada à Surface web. Essa é só uma das três partes da internet, composta ainda pela Deep Web e pela Dark Web, mas já falamos sobre elas.

Essas três subdivisões da internet recebem a alusão de um iceberg, provavelmente a comparação mais famosa e fiel. Na Surface (a ponta do iceberg) você acessa tudo o que pode ser acessado por meio de buscas em sites como o Google e o Bing. É lá onde estão as informações “tradicionais” da internet, sem senhas, sem restrições e, consequentemente, sem segurança.

Deep Web

A Deep Web, por sua vez, é a camada submersa do iceberg, é onde estão todos os conteúdos que você só tem acesso por meio de senhas, como seus perfis privados de redes sociais, seu e-mail ou quaisquer outros sites que você só acessa com códigos específicos, como as senhas. O termo Deep Web foi criado em 2001 por Michael Bergman para definir quaisquer conteúdos que não pudessem ser encontrados em sites regulares de buscas. É, também, na Deep Web que estão presentes informações confidenciais de instituições, pessoas públicas e até mesmo governos, já que a capacidade de armazenamento e anonimato lá são enormes. A vantagem disso é que, nesse ambiente, fica propício o acúmulo de conteúdos de todos os tipos. Livros, filmes, músicas, artigos acadêmicos, séries, jogos… na Deep Web isso está aos montes, muito mais que na Surface. Mas, e aquele lado sombrio da Deep Web? O que é?

Deep Web X Dark Web

Esta é chamada de Dark Web. É a camada mais profunda e criptografada da internet, abaixo até mesmo da “Deep Web comum”. É aqui onde você deve ficar alerta e, se possível, evitar. Acontece que, na Dark Web, a conexão que liga seu computador ao servidor que você busca passa por milhares de outros servidores pelo mundo, impossibilitando qualquer reconhecimento de onde vem o acesso. Isso permite que as pessoas possam acessar quase qualquer site ou lugar sem deixar rastros. Isso permite que funcionem sites de compras e vendas ilegais, de coisas bizarras como armas, drogas e até humanos. É um verdadeiro território sem leis, e é lá que toda a parte “ruim” da Deep Web está. Por isso, é muito importante um cuidado extremo ao acessar, clicar e buscar conteúdos perigosos e suspeitos no ambiente.

Assim como o oceano, a internet é quase totalmente desconhecida pelo ser humano, e se aprofundar demais pode ser chocante. Explore esse mundo sempre com responsabilidade e, de preferência, com qualidade! Os planos da Copel Telecom proporcionam a você a experiência de navegar (com segurança) pelos quatro cantos da internet com toda a qualidade da fibra óptica. É um mergulho com muito mais segurança e velocidade por esse infinito mundo da internet.

Fontes:

https://tecnoblog.net/189897/como-acessar-deep-web-links/

https://g1.globo.com/economia/tecnologia/blog/altieres-rohr/post/2019/03/14/deep-web-entenda-o-que-e-e-os-riscos.ghtml