Reprodução: Beyonce – Lemonade

Quem não curte conferir um ranking quentinho com as faixas mais tocadas no Brasil ou no mundo? Além de ficar por dentro do que está bombando por aí, os charts também nos servem como filtro de sons e indicações de nomes novos para ouvirmos. Mas as listas oficiais – aquelas que apontam as tendências do mercado – não funcionam como os tops das mais tocadas do Spotify ou YouTube.

Official Charts Company é uma organização britânica que compila dados de vendas e execução de músicas na terra da rainha. Desde sempre foi uma instituição séria e vem sendo acompanhada de perto por todos que se interessam por música de alguma maneira. A boa notícia é que ela está se atualizando com a nova maneira como consumimos música hoje em dia.

Foi anunciado em junho que o Official Charts vai mudar suas regras. A partir de agora serão aceitos dados de streamings de vídeos e downloads únicos na pontuação que define os rankings das músicas mais tocadas no país.

Com videoclipes que superam os bilhões em poucas horas, não seria justo que estas músicas não estivessem presentes na lista das mais ouvidas, concorda?

O caso mais recente é da música This is America, de Childish Gambino. Será que a música teria todo o impacto mundial que teve, sem todo o furor em torno do videoclipe? Provavelmente não.

E o exemplo pode ser aplicado em vários outros artistas pop que investem cada vez mais em seus clipes. Buscam impactar os fãs através de um bem bolado pacote audiovisual. Quem lembra do Lemonade, da Beyoncé?

A internet está mudando tudo…

Se antigamente era preciso esperar a revista mensal chegar em casa para descobrir o que estava sendo mais tocado nas rádios, hoje basta acessarmos listas como a do Youtube Charts para pesquisar sobre categorias, artistas e muito mais.

A informação está nas mãos de todos e é claro que a indústria musical não deixaria isso passar em branco. Basta ter muita curiosidade (e uma ótima banda larga 😉 ).