Você deve ter visto nas redes sociais, nas últimas semanas, muita gente conhecida com carinha de bebê. Memes, famosos, parentes… todo mundo aderiu ao filtro do Snapchat que, literalmente, voltou a dar as caras. Afinal, nos últimos meses, a rede social que em 2011 revolucionou a internet com seu conceito “instantâneo” de trocar fotos tem passado por constantes baixas e perdendo cada vez mais espaço para as concorrentes, principalmente o Instagram. De fato, o filtro de bebê deu uma levantada na moral do Snap. Mas, e agora? Será que a rede vai conseguir manter-se em alta ou foi apenas um sucesso meteórico?

Snapchat X Instagram

Criado por Evan Spiegel, Bobby Murphy e Reggie Brown o Snapchat surgiu em 2011 com o curioso conceito de compartilhar fotos que seriam apagadas em segundos. A ideia, na época revolucionária, foi muito bem aceita pelo público, e em outubro de 2012 já haviam 10 milhões de pessoas logadas no Snapchat. No ano seguinte, a função Stories foi agregada ao aplicativo.

Logo que foi lançado, o Snapchat enfrentou uma concorrência acirrada: o Twitter e o Facebook já eram redes sociais consolidadas nesse universo. No entanto, alguns fatores o distanciavam dessas gigantes, como o fato de ser um programa exclusivo para dispositivos móveis. Por conta disso, o app acabou encontrando outro concorrente direto, que caminhava no mesmo terreno que ele: o Instagram.

Quando o Snapchat surgiu, em 2011, o Instagram tinha cerca de um ano de vida, e já tinha uma imagem consolidada entre os apps de fotos. Foi em 2012 que as coisas mudaram. No dia 12 de abril daquele ano, o Facebook anunciou a compra do Instagram por aproximadamente 1 bilhão de dólares. E não parou por aí: em 2013, a rede social de Mark Zuckerberg ofereceu uma proposta bilionária pelo Snapchat. E foi recusada!

Meses depois, o Facebook repetiu a tentativa, novamente em vão. O Snapchat se mostrava firme contra a gigante, que nitidamente mostrava um receio quanto ao aplicativo, que se tornava cada vez mais popular. O Facebook, no entanto, tinha (e ainda tem) uma carta na manga: o Instagram. Agora, com a maior rede social de troca de imagens do mundo, uma forte concorrência passaria a existir ali. Em agosto de 2016, o Instagram lançou os Stories. Estava declarada uma severa decadência do Snapchat.

A queda

Vários fatores ajudaram na queda do Snapchat. Talvez o fato de o Instagram aliar seu conceito clássico ao conceito dos Stories, cujo pioneiro foi o Snap, tenha sido o principal. O impacto foi se tornando gradativo e, em outubro de 2018, o Snapchat havia anunciado uma perda maior do que as expectativas de Wall Street para o período (Forbes). De acordo com o veículo, a rede fechou o terceiro semestre de 2018 com 186 milhões de usuários ativos diários. À medida que o Insta crescia em popularidade, o Snap buscava maneiras de se reinventar.

A reascensão

No início do mês passado, entretanto, o Snapchat ressurgiu das cinzas com um novo filtro que viralizou na internet: o filtro de bebê. Rapidamente, um novo meme surgiu e as pessoas voltaram a baixar o app. Você certamente viu – ou até mesmo tirou – uma foto com essa divertida aplicação. Ainda não é possível estimar o impacto positivo à longo prazo que essa alavancada vai gerar ao Snapchat, mas mostra que – apesar de ter o logo de um fantasminha – a rede social ainda está vivíssima no imaginário da galera.

E agora?

O Snapchat tem buscado inúmeras maneiras de se inovar, especialmente depois da acirrada disputa com o Instagram (e consequentemente o Facebook). Se você der uma olhada no aplicativo, vai notar que são várias as novas funções e possibilidades, principalmente nos filtros. Mas, para manter em alta essa popularidade, a rede social terá que investir mais em diferenciais, já que os Stories do Instagram ainda são o ponto forte nesse meio “instantâneo” de compartilhar imagens, talvez estendendo sua área de atividade para algo além das fotos.

A vantagem dessa disputa é que, independentemente de quem vença, o usuário sempre irá lucrar, já que ele é o foco de tantas inovações. Resta a nós torcer para que essa competição traga cada vez mais conteúdos interessantes para nossas fotos.

Fontes:

https://noticias.uol.com.br/tecnologia/noticias/redacao/2018/03/12/snapchat-nas-ultimas-o-que-aconteceu-com-o-app-que-ia-desbancar-o-facebook.htm

https://www.meioemensagem.com.br/home/midia/2019/02/06/snapchat-surpreende-com-alta-de-receita-e-manutencao-de-usuarios.html

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2016/08/instagram-ganha-modo-historia-recurso-que-fez-fama-do-snapchat.html

https://noticias.uol.com.br/tecnologia/noticias/redacao/2017/07/28/atacado-por-clones-do-facebook-snapchat-aposta-em-inovacao-para-sobreviver.htm