Lançamento do projeto Internet Sem Bullying

Continuando a série Internet Sem Bullying, hoje é a vez de falarmos sobre a realidade do bullying e cyberbullying no Brasil. Um problema que apresenta maior frequência nas escolas, impactando diretamente crianças e adolescentes.

Sabia que, em nosso país, praticamente 1 em cada 10 estudantes sofrem bullying com frequência no ambiente escolar? Essa alarmante realidade foi revelada pelo Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2015.

Já 43% dos estudantes de 11 a 12 anos de idade disseram ter sido vítimas de bullying na escola pelo menos uma vez no mês passado. Os dados foram divulgados pelo relatório “Um Rosto Familiar: A violência nas vidas de crianças e adolescentes”. A pesquisa, divulgada no dia 1º de novembro deste ano, foi lançada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) com dados da Organização Mundial da Saúde e Ministério da Saúde.

Bullying na internet (Cyberbullying)

Agora, no cenário virtual, a discriminação na internet passou a fazer parte, inclusive, da pesquisa TIC Kids Online Brasil. Foram incorporadas perguntas sobre intolerância e discurso de ódio na rede.

Segundo os dados do Comitê Gestor da Internet no Brasil, de 2015, 40% das crianças e adolescentes usuários de internet declararam ter visto alguém ser discriminado na internet no respectivo ano.

Dentro das escolas, de acordo com especialistas as porcentagens são ainda maiores. Um exemplo disso? 58% dos estudantes alegam ter sido insultados e xingados enquanto estavam online. Já 53% afirmam terem dito algo desagradável para outros colegas no meio virtual.

Vamos ajudar a mudar esse cenário?

Então, inspire-se com o projeto Internet Sem Bullying. Realizado pelo Instituto Abrace Programas Preventivos em parceria com a Copel Telecom, a iniciativa tem o objetivo de reduzir e prevenir a prática do cyberbullying, orientar famílias e promover o uso ético da internet.

A campanha foi lançada na Escola Estadual Ângelo Trevisan, no bairro Cascatinha, em Curitiba? Clique aqui para assistir à matéria veiculada na RPC.

Internet como um espaço de respeito

Diretor da Copel Telecom, Adir Hannouche, durante lançamento da campanha Internet Sem Bullying“Prevenir, orientar e ajudar as pessoas a identificarem esse problema, é uma forma que encontramos de tornar a internet um espaço que respeita a diversidade, as diferenças e a convivência das pessoas”, afirma o diretor da Copel Telecom, Adir Hannouche.

Com essa iniciativa de responsabilidade social, levamos cursos de capacitação para os nossos colaboradores, palestras para os docentes de escolas municipais, cartilhas informativas para pais e alunos e várias interações em todo o Paraná.

Em uma das atividades realizadas nas escolas, os alunos são convidados a assinar um termo de compromisso. Nesse documento fictício, eles se comprometem a não praticar bullying com os colegas.

Alunos assinando mural onde se comprometem a respeitar os colegas

“Conectar pessoas é mais do que usar a nossa rede de internet, é abrir as portas para um mundo muito maior do que a gente imagina. Para isso, queremos ajudar a criar um ambiente seguro”, complementa.

Sobre a Abrace Programas Preventivos

A Abrace Programas Preventivos é uma instituição transformadora. Através de seu trabalho, cria caminhos para a conscientização e transformação da vida de centenas de estudantes do Brasil. É também responsável pelas ações da Frente Parlamentar de Combate ao Bullying e Outras Formas de Violência, no Congresso Nacional.

Vem com a gente? Então, use a hashtag #InternetSemBullying e aproveite para curtir agora mesmo a página do projeto no Facebook.