Neutralidade_da_redeEm dezembro de 2017, o governo dos Estados Unidos revogou a neutralidade da rede. Em outras palavras, isso significa que as empresas agora podem controlar o acesso aos conteúdos de internet dos usuários americanos.

O assunto tem sido discutido no Brasil, e a Copel Telecom continua a favor da neutralidade da rede. Ou seja, nossos clientes vão continuar navegando livremente, sem filtros ou restrições de acesso.

E para você ficar por dentro de tudo que está acontecendo, nós preparamos um pequeno guia com as principais dúvidas e respostas sobre o tema. Vamos lá?

O que é neutralidade da rede?

Neutralidade da rede é o princípio de que as empresas que fornecem internet devem tratar o acesso a todos os conteúdos de forma igual. Isso quer dizer que as operadoras não podem priorizar o acesso a um site e dificultar o acesso a outro, e nem cobrar pelo tipo de conteúdo em que o internauta deseja navegar.

Em muitos países a neutralidade da rede faz parte de leis que regulamentam o fornecimento e uso de internet – no Brasil, ela está garantida pela Lei nº 12.965/14, também conhecida como Marco Civil da Internet, criado em 2014 no país.

Por que a neutralidade da rede se tornou um tema importante?

Existem vários motivos que fazem desse tema uma pauta bem importante, pois a neutralidade da rede garante que você acesse livremente qualquer conteúdo da internet.

Mas, entre eles, podemos destacar que a principal razão para que a neutralidade da internet tenha ganhado força é o enorme crescimento dos serviços streaming – como Netflix e outras plataformas de filmes e séries, por exemplo.

Então, para evitar que fornecedoras de internet e TV a cabo dificultassem o acesso e esse tipo de serviço (que pode ser encarado como concorrente dos pacotes de canais por assinatura) e, também, para garantir os direitos do consumidor, a neutralidade da rede virou lei em vários países.

E agora, nos Estados Unidos?

Lá, com o fim da neutralidade da rede aprovada em dezembro de 2017, as empresas de internet poderão controlar o acesso dos usuários dependendo do conteúdo.

Olhando para um cenário mais dramático, isso significa que, se algumas companhias quiserem dificultar o acesso a sites ou serviços que representam concorrência, não vai existir uma regulamentação para impedir.

Analisando por um viés menos impactante, o fim da neutralidade da rede possibilita a criação de pacotes pelo tipo de conteúdo: para quem só acessa e-mail, para quem acessa redes sociais e portais ne notícia, para quem quer usar serviços streaming.

Há quem defenda, dizendo que dessa forma a internet pode ser mais barata para aqueles que usam menos.

E quem é contra a medida americana afirma que sem a neutralidade de rede a liberdade do usuário é extinta e os pacotes de internet terão preços abusivos – já que é muito difícil que alguém ainda use a rede para acessar apenas um único tipo de conteúdo.

Marco Civil da Internet – como está a neutralidade da rede no Brasil?

Aqui no Brasil temos a neutralidade de rede garantida pelo Marco Civil da Internet, lei criada em 2014 e que regulamenta esse tema.

Ou seja, por enquanto, não é permitido que as empresas de internet influenciem a navegação do usuário ou cobrem pelo tipo de conteúdo. O cliente só paga pela velocidade e a qualidade deve ser garantida em todo acesso.

Será que as coisas podem mudar no Brasil?

Como a gente sabe, os assuntos de um país acabam chegando no outro pois estas pautas regularmente são mundiais. Então, com a decisão dos Estados Unidos, a discussão esquenta no Brasil também. Se vai mudar? É possível que sim e é possível que não. Tudo vai depender dos governantes, das operadoras e também da postura popular.

E qual o posicionamento da Copel Telecom nessa?

Vale a pena reforçar: a Copel Telecom é a favor da neutralidade da rede, da navegação de qualidade para todos os conteúdos, sem filtro ou limitações. Além disso, nós incentivamos o uso dos conteúdos streaming com as nossas parcerias, como o acesso gratuito aos aplicativos do Cartoon Network e do Esporte Interativo.  E essa é só uma das vantagens de ser nosso cliente!