A engenharia de confiabilidade de sites, ou Site Reliability Engineering (SRE) é um conceito criado por Ben Trevnor Sloos, vice-presidente de engenharia do Google, em 2003.

Na época, Trevnor gerenciou uma equipe com o objetivo de aumentar a confiabilidade do maior site de pesquisas do mundo. De acordo com o engenheiro, a principal característica de um site deve ser a confiabilidade. E é aí que entra o SRE. Mas, afinal, o que é o esse conceito?

O que é SRE?

O SRE é, basicamente, uma mentalidade da aplicação de conceitos de engenharia antes e durante o processo de administração de um site. É como se fosse um processo de testes e vistorias, para que a confiabilidade do site haja perfeitamente.

A função do SRE seria, então, a identificação de problemas e possíveis limitações no funcionamento do site, a fim de prever empecilhos que poderiam afetar a experiência do usuário.

Por que o SRE?

O que acontece é que investir em melhorias e aprimoramentos em um site pode ser um prejuízo se, posteriormente, forem identificados problemas. É como fazer um trabalho em dobro. Por isso, o SRE opera durante a criação deste, a fim de que o processo de concepção atue em paralelo com o processo de detecção.

Assim, os fatores limitantes são identificados antes do site operar oficialmente. A técnica foi tão bem-sucedida que, hoje, gigantes como a Netflix e a Amazon implantaram essa tecnologia.

Os objetivos principais do SRE são o desenvolvimento de soluções automatizadas como monitoramento de plantão, planejamento de desempenho e capacidade de resposta a desastres. É, basicamente, estar pronto para o que der e vier no sistema.

E como isso é feito? Simples: aplicando pontos essenciais da engenharia de software a tópicos de administração de sistemas. Resumindo, o SRE atua como um elo entre o desenvolvimento e a operação. Você pode conferir mais sobre esse conceito e seu funcionamento no livro Reliability Engineering – How Google Runs Production Systems.

O que um profissional de SRE deve ter?

Entre as principais responsabilidades de um profissional de SRE estão:

1 – A resolução de problemas

Como o próprio SRE se configura como um sistema de detecção prévia de sistema, um profissional que abrace isso deve estar disposto e consciente de que precisará enfrentar imprevistos de todas as dimensões. Estar preparado para esses desafios é fundamental na consolidação desse profissional.

2 – Trabalho em equipe

A integração e um bom relacionamento com os outros funcionários são fundamentais, a fim de que os resultados saiam conforme o planejamento. Além disso, mais mentes em atenção ao conjunto de elementos que forma o SRE é imprescindível.

3 – Boa comunicação

Esse é quase um complemento do segundo tópico. Um relacionamento saudável e uma comunicação efetiva entre os membros da equipe é imprescindível à gestão plena de um bom sistema de SRE. Assim, ficam mais claros os planos e estratégias de mapeamento de problemas da tecnologia.

SRE e a Copel Telecom

Como uma empresa que está conectada com o futuro, a Copel Telecom também usa o recurso de SRE em suas operações. Além disso, temos uma série de vantagens que podem facilitar os processos da sua empresa. Confira:

Internet dedicada

O IP Direto da Copel Telecom garante à sua empresa uma disponibilidade total de conexão, de forma que seus negócios não percam prazos importantes. Além disso, sua companhia conta com a garantia total de internet contratada com toda a estabilidade e velocidade que merece. Clique aqui e saiba mais.

Banda larga corporativa

A internet 100% fibra óptica da Copel Telecom garante uma conexão plena para sua empresa e suas filiais. Adaptada a todos os portes, é uma excelente opção para quem quer impulsionar seu negócio. Conheça mais clicando aqui.

Colocation – o Data Center da Copel Telecom

O Colocation é nosso serviço de armazenamento de dados. Com ele, seus equipamentos e sistemas ficam protegidos 24×7. Você conta com uma série de benefícios como um sistema de refrigeração – a fim de que seus aparelhos não superaqueçam – e um sistema anti-incêndio, que protege seus sistemas de perdas. Clique aqui e conheça mais.

Fontes:

https://churrops.io/2017/10/09/o-que-e-sre-site-reliability-engineering/

https://www.fm2s.com.br/engenharia-de-confiabilidade/

https://www.scalyr.com/blog/what-is-sre/