Qual a primeira coisa que vem à sua cabeça quando você lê ou escuta a palavra “algoritmo”? Certamente, você imagina algo relacionado a computadores, códigos, números e o universo de programação, né? De fato, os algoritmos estão intimamente ligados à linguagem de programação, já que eles são as sequências de passos que irá compor um determinado programa. No entanto, o conceito de “algoritmo” é anterior à programação. Na realidade, até uma receita de bolo pode ser considerada um algoritmo. É isso mesmo! Ficou curioso? Então acompanhe a gente nessa leitura e entenda melhor o que é e qual a importância dos algoritmos no nosso dia a dia.

O algoritmo é uma receita

Primeiramente, vamos explicar essa coisa de “receita”. Um algoritmo não é nada mais que uma sequência lógica finita para instruir algo ou alguém a realizar uma tarefa. É por isso que fizemos a comparação com uma receita. Imagine que, para fazer um bolo, você precisa seguir passo a passo uma série de instruções exatas em ordem e quantidade, senão tudo vai por água abaixo. Cada elemento tem uma finalidade dentro de um objetivo final: formar o bolo.

Com os computadores é a mesma coisa. Cada comando dentro de um algoritmo tem uma finalidade e direção que, ao final, irá gerar um resultado. E, caso alguma coisa saia do planejado por algum erro de “medida”, o resultado pode ser totalmente diferente. É por isso que, dentro de um algoritmo, tudo deve ser muito bem explicado para o computador, já que para o sistema não existe “óbvio”. Só que nós humanos não falamos a língua dos computadores. É por isso que existe a linguagem de programação, que serve como uma ponte para os programadores “falarem a língua” dos computadores. Basicamente, o algoritmo é um tipo de fluxograma, no qual um losango irá sinalizar para a ação que se espera ser realizada.

Como o Google encontra o que você quer?

Você já parou para se perguntar como o Google realiza suas buscas com tanta precisão e eficiência? Na verdade, você alguma vez você já pensou que os conteúdos que o Google leva até você são limitados? É importante dizer isso porque muitas vezes vemos o buscador como se fosse a própria internet. É nossa melhor e mais confiável fonte nesse meio, não é?

O PageRank é a figura que está por trás de toda essa eficiência do Google. Ele é um algoritmo com mais de 20 anos que foi desenvolvido por Larry Page, um dos cofundadores do gigante das buscas. Esse algoritmo opera em conjunto com programas chamados de spiders (aranhas) ou crawlers (rastejadores) buscando páginas que se encaixem com os elementos digitados por você na busca.

Como dissemos: os conteúdos que o Google encontra não são infinitos. Eles estão pré-dispostos em uma extensa rede de páginas “indexadas”, ou seja, armazenadas em um grande banco de dados. Esse banco de dados é organizado pelas spiders seguindo uma série de critérios como palavra-chave, país, data e idioma. Depois de separadas, o PageRank começa seu trabalho. Ele mede a importância de uma página analisando quesitos como a quantidade e qualidade de links que apontam para ela. O PageRank não é o único algoritmo que o Google utiliza, mas é o mais antigo e popular.

Talvez você se interesse por isso!

Seu fone de ouvido parou de funcionar um lado! Você tuíta sobre isso, pesquisa em alguns blogs como solucionar esse problema e volta às suas atividades na internet. Dentro de alguns minutos começa a aparecer uma série de anúncios de fones de todas as marcas no seu feed. Já aconteceu algo assim com você? Se a resposta for não, comece a ficar de olho nos conteúdos que você explora na internet e os anúncios que aparecem para você em seguida. Certamente você vai notar essa relação.

Mas, calma! Não é nenhuma mágica. São simplesmente os algoritmos trabalhando para facilitar sua vida e levar a você o que você deseja com mais praticidade. Alguns dos principais métodos utilizados por esses algoritmos para entregar conteúdos mais relacionados com seu perfil na web são pesquisa, conteúdo, filtragem colaborativa e item a item.

Quem nunca matou um tempinho rolando a timeline do Facebook?

É impossível acompanhar 100% dos conteúdos que seus amigos e páginas que você segue publicam no Facebook. Afinal, um usuário está exposto a cerca de 1500 publicações por dia na rede social. É por isso que a plataforma trabalha filtrando o que chega a você. E como ela faz isso? É simples: algoritmos.

O EdgeRank é o algoritmo do Facebook que seleciona quais os posts mais relevantes para aparecer no seu feed. Assim como o PageRank, do Google, ele considera vários fatores antes de entregar a você o que chega na sua timeline, como o número de comentários sobre o assunto nas postagens, quem fez a postagem, qual o tipo (foto, vídeo, atualização de perfil e etc.). Por conta disso, conteúdos que possuem uma maior interação acabam roubando a cena em meio as outras publicações. É por isso que, para uma empresa, é muito rentável quando há uma grande movimentação de comentários, curtidas e compartilhamentos de consumidores em seus posts.

Outro fator no qual o EdgeRank se baseia na hora de entregar os conteúdos mais a ver com você são as pessoas com quem você interage, curte, comenta e compartilha coisas. Tudo isso é utilizado por ele para mapear cada usuário. Não é à toa que você vê muito mais publicações das mesmas pessoas, enquanto outras simplesmente não aparecem em seu feed.

Mais família, menos Fake News

Porém, tudo que é demais prejudica. Nos últimos três anos, a onda de notícias falsas, títulos “caça-cliques” e outras publicações sem sentido tomaram conta do cenário virtual, especialmente do Facebook. Muitos desses elementos, principalmente as Fake News, causaram consequências sérias no “mundo real”. Por conta disso, a rede de Mark Zuckemberg se viu obrigada a tomar uma medida que aperfeiçoasse seu sistema de verificação.

No início do ano passado (2018), a rede social mais utilizada do mundo anunciou uma atualização que teria o objetivo de conectar as pessoas com um lado mais “humano”. Foi diminuído o alcance de notícias, anúncios e conteúdos mais supérfluos e passaram a ser difundidos para cada usuário mais publicações de seus amigos e familiares. Você não reparou que aquele seu colega de trabalho ou faculdade tem dado mais as caras no seu feed?

O fato é que essa tecnologia cada vez mais inteligente é uma maneira que a internet busca de facilitar os processos de relação e consumo entre marcas e pessoas. O mundo está pedindo mais em menos. Os algoritmos são a ponte para sanar essa necessidade. Eles funcionam como verdadeiras receitas para entregar ao usuário exatamente o que ele quer com cada vez menos esforço. É um fator que pode, talvez, proporcionar mais tempo para cada um aproveitar mais seu dia a dia à sua maneira.

Fontes:

https://www.oficinadanet.com.br/post/12834-os-10-algoritmos-que-dominam-o-nosso-mundo

https://www.acadtec.com.br/blog/desenvolvimento-backend/qual-a-importancia-de-algoritmos-na-programacao

https://www.agenciamestre.com/marketing-digital/o-que-e-pagerank/

https://www.tecmundo.com.br/publicidade/8638-como-sites-escolhem-os-produtos-certos-para-recomendar-.htm