Em seu artigo na Rede TechTarget, Brien Posey fala sobre as expectativas de plataformas de backup mais abrangentes, com dados distribuídos em diversos lugares.

Não é de hoje que se estuda as melhores práticas para proteção de dados. Seja para a prevenção de ataques cibernéticos e desastres naturais ou, simplesmente, pelo avanço de inovações, os departamentos de TI vivem em constante evolução e aprimoramento de soluções.

Para Brien, talvez um dos profissionais que mais se dedique a este tema no mundo, 2019 será marcado pela transição da nuvem única para a múltipla: o multi-cloud. E para isso, a principal mudança é o software de backup se tornar independente da nuvem. “Isso será essencial se uma organização quiser gerenciar centralizadamente suas operações de backup. Uma coisa é configurar um appliance de backup virtual na nuvem da AWS e outro em uma nuvem diferente, como o Microsoft Azure. Outra é que esses dispositivos de backup virtual possam se comunicar uns com os outros e que um administrador de backup possa gerenciar de maneira centralizada todos os backups na nuvem de uma organização. Colocando isso em outros termos, os softwares de backup precisarão se tornar agnósticos em relação à nuvem.”

Outra expectativa do engenheiro de rede é a de um melhor suporte para o SaaS: “Nos últimos dois anos, as empresas finalmente acordaram para a ideia de que os dados em seus aplicativos SaaS precisam de backup. Mesmo assim, o suporte para backup de aplicativos SaaS ainda deixa muito a desejar. No caso do Microsoft Office 365, por exemplo, os provedores de backup geralmente oferecem proteção para o Exchange Online, o SharePoint Online e o OneDrive for Business, mas o suporte para aplicativos menos conhecidos do Office 365, como Flow, Planner e Stream, é quase inexistente.” A boa notícia aqui é que como a concorrência entre fornecedores de backup tende a aumentar, deve aumentar também a abrangência dos serviços de proteção como elemento principal de competitividade.

E para as empresas que optam por plataformas de backup on premise ao invés da nuvem, as opções de infraestrutura hiperconvergente tendem a continuar inovando na apresentação de recursos para otimizar a gestão e o investimento. “Embora a tendência na proteção de dados atualmente se concentre no backup em nuvem, a infraestrutura hiperconvergente ganhou um impulso significativo no último ano para uso como plataforma de backup.” finaliza Brien.

E você, como faz a proteção de dados na sua empresa? Será que já está utilizando a solução mais eficaz e econômica? Conheça os serviços da Copel Telecom que podem otimizar seu ambiente de TI.

Fontes:
https://bit.ly/2UqiNFl

https://www.cisco.com/c/m/pt_br/articles/hiperconvergencia.html