Se você habita este planeta, em algum momento dos últimos dias deve ter lido, escutado, ou até mesmo falado sobre o Oscar. A maior premiação do cinema mexeu com as nossas emoções, opiniões e curiosidade sobre tudo que aconteceu nos filmes, festa e, principalmente, bastidores da grande festa de Hollywood. Com a gente não foi diferente. E como temos uma internet bacana, que nos ajuda a pesquisar, assistir vídeos, sem perder a qualidade de sinal, trouxemos alguns fatos inusitados dessa e de outras edições da maior noite do cinema. Vem com a gente:

  • Ouro de mentirinha?

Que nada! Você sabia que as estatuetas entregues na premiação são banhadas com ouro 24 quilates e pesam, aproximadamente, 4 quilos? Favor não derrubar no pé, hein?!

  • Alguém disse derrubar?

O ator Rami Malek, vencedor da categoria melhor ator por sua atuação em Bohemian Rhapsody, interpretando o cantor Freddie Mercury, despencou do palco, logo após ser premiado. Porém, o ator segurou a estatueta e não a deixou parar estatelada no chão. Afinal, não é todo dia que se fatura uma dessas, né Malek? Leonardo DiCaprio que o diga.

  • Ainda sobre quedas

Você sabia que o famoso filme “Um Corpo que cai”, do consagrado diretor Alfred Hitchcock, nunca recebeu o prêmio mais desejado do cinema? Apesar disso, o filme é um grande clássico, que já ocupou o posto de “melhor filme de todos os tempos” da revista Sight and Sound do Festival de Cinema Britânico (BFI), ultrapassando outros clássicos, como “Cidadão Kane”, há 5 décadas no topo da lista. Nossa dica de filmaço para ver ou rever essa semana.

  • E falando em rever…

Parece que a dupla Lady Gaga e Brandley Cooper arrasou mesmo na performance durante a premiação de 2019. O vídeo da canção Shallow, que deu à Gaga o oscar de melhor canção original – pelo filme Nasce uma estrela, teve, em apenas um dia, 6,5 milhões de visualização no YouTube. Isso só no canal da cantora… Ahhh Shallow <3

  • And the treta with the Netflix continua.

Não é segredo para ninguém que a Academia não vê com bons olhos as produções feitas pelo serviço de stremming, Netflix. Apesar de amarmos, isso é uma briguinha já antiga, que neste ano pode ter tirado o principal prêmio da noite de Roma, uma produção belíssima da Netflix, filmada em 65mm que chegou com força para competir. Conservadorismo? Talvez. Mas o legal mesmo, é que o longa não voltou pra casa de mãos abanando. Levou melhor filme estrangeiro, melhor fotografia e melhor direção. Boa Alfonso Cuarón, recebido com alegria no palco pelo conterrâneo Guillermo del Toro, vencedor do último Oscar com A Forma da água.

  • And the Oscar goes to…

La la land! Brincadeirinha. Green Book foi o grande vencedor da noite. Baseado em uma história real, o longa que fala sobre a relação de amizade de um brilhante pianista negro, que sofre os preconceitos de uma sociedade dos anos 60, e seu motorista. Também levou para casa os prêmios de melhor ator coadjuvante e melhor roteiro original. Convenhamos, um filmaço, mas que, segundo informações da redação da revista Galileu, ganhou duras críticas da família de Don Shirley, por não concordarem com inúmeras cenas do longa, inclusive com o fato do motorista, branco, “ensinar” ao pianista sobre ícones da música, como Aretha Franklin. Estatueta com gosto de climão.

Bom, agora que você já ficou por dentro de algumas curiosidades bem legais dessa 90ª edição do Oscar, que tal aproveitar a velocidade da sua internet Copel Telecom para assistir a todos os indicados, vencedores, ou não, do prêmio? Depois volte aqui pra contar pra gente o que você mais curtiu em cada um deles.

 

 

Fontes:

www.cultura.estadao.com.br

www.g1.globo.com/pop-arte/cinema

www.vejasp.abril.com.br

www.brasil.elpais.com

www.revistagalileu.globo.bom/cultura