byte

Conforme surgem novos dispositivos eletrônicos no mercado, a capacidade de armazenamento de dados deles também aumenta. Por isso, com certeza você já deve ter ouvido falar sobre Kilobyte, Megabyte, Gigabyte e Terabyte.

São essas unidades que definem a capacidade de armazenamento de dados de um dispositivo eletrônico. Contudo, um oferece mais espaço para os seus dados do que o outro.

Vamos começar explicando a diferença entre bit e byte pra você seguir a mesma linha de raciocínio que a gente e entender melhor.

Bit x Byte

O termo bit foi originado de Binary digit, ou seja, dígito binário.
O bit corresponde aos valores de 0 e 1. Juntando 8 bits, temos 1 byte. Portanto, 1 byte é oito vezes maior que 1 bit.

Os bytes

Seguindo a mesma linha de raciocínio acima, onde o bit é menor que o byte, entre kilobyte, Megabyte, Gigabyte e Terabyte funciona da mesma forma.

Um Kilobyte é composto por 1024 bytes. Portanto, é maior que 1 byte.
Um Megabyte é composto por 1024 Kilobytes. É maior que 1 Kilobyte.
Um Gigabyte é composto por 1024 Megabytes. É maior que 1 Megabyte.
E um Terabyte é composto por 1024 Gigabytes. É maior que 1 Gigabyte.

Por isso, cada um oferece uma capacidade de armazenamento de dados maior do que o anterior. Por exemplo:

Você tem um computador que possui 1 Megabyte (capacidade de armazenamento de dados de 1024 kilobytes). No dia do seu aniversário você ganhou um computador de 1 Gigabyte (capacidade de armazenamento de 1024 Megabyte). Agora, você pode armazenar muito mais dados, porque o seu novo computador tem muito mais espaço para você baixar fotos, vídeos, músicas, jogos, livros, etc.

Imagina que  uma letra do alfabeto ocupe 1 bit  e este bit seja um espaço dentro de uma sacola. Se você comprasse uma sacola com 1 byte, poderia ter oito letras do alfabeto. Se comprasse uma com 1024 Kilobytes, poderia armazenar 8192 letras de 1 bit e, se fosse de 1 Terabyte, poderia inventar letras e utilizar todo o alfabeto conhecido em nosso planeta, pois teria capacidade de armazenar 8.796.093.022.208 bits. 🙂

Fontes: TecMundo.