Desde sua criação no século passado, os videogames têm sofrido constantes evoluções, sempre buscando superar os adversários e as próprias versões anteriores. Na corrida pelas graças dos gamers, as empresas investem em cada vez mais inovações.

Desde a última década, a área mais explorada no mundo dos games tem sido a realidade virtual. A IDC prevê que até 2021 a indústria de realidade virtual e aumentada no mundo dos games vai movimentar 215 bilhões de dólares (um aumento de 118% desde 2018). Com base nisso, o que esperar para os próximos anos?

Equipamentos mais sofisticados e integrados

No mundo da realidade virtual, sai na frente quem simular a experiência mais fiel à realidade. Como isso é feito? Simples: estimulando os sentidos. Entre os equipamentos mais populares para proporcionar essas sensações destacam-se os headsets e óculos de realidade virtual.

De acordo com os últimos anos, essa indústria tem se mostrado promissora. Um exemplo disso é o PS VR (óculos de realidade virtual da Sony), que vendeu 2 milhões de unidades em seu primeiro ano de lançamento)

Mas, o desenvolvimento de óculos, fones de ouvido e outros equipamentos “isolados” seria o melhor caminho para o sucesso no mundo dos games? Bom, os eventos de inovação e tecnologia tem mostrado que não é o suficiente. Prova disso foi a CSE (Consumer Eletronic Show) 2019, que mostrou o que as empresas andam aprontando para os gamers. Confira:

Videogames rompendo barreiras

Na última edição da CSE, conhecemos projetos ousados de “integração de sentidos” pouco vistos no mundo dos games. Confira alguns deles:

Teslasuit

Na tradução literal “Teslasuit” significa “traje de Tesla”, uma provável homenagem ao pai da eletricidade Nikola Tesla. Isso porque o Teslasuit leva o conceito de eletricidade a outro patamar.

A roupa, que parece ter saído de um filme de ficção científica, funciona como uma ponte entre o mundo real e o virtual, permitindo que o gamer sinta a temperatura ambiente do jogo, assim como impactos como as gotas de chuva e o sopro do vento.

É um passo ousado no estímulo dos sentidos no mundo dos games, já que antes apenas a visão e a audição eram personagens dessa história. Conheça mais do projeto aqui.

Um salão de jogos virtuais na sua casa?

Também na CSE 2019, a empresa Puppy Robotics (famosa pelos cachorrinhos-robô de mesmo nome) apresentou o ousado PuppyCube S, que se trata de uma espécie de projetor interativo. Na ocasião, foram exibidos protótipos em que era possível tocar um piano, editar fotos e até pintar.

A iniciativa, porém, pode abrir espaço para um futuro mais conectado dentro de casa. Com a tecnologia, seria possível futuramente gerar um cenário de guerra, campos de futebol ou até mesmo um circuito de Fórmula 1. Já imaginou jogar em uma Puppy Cube S usando um Teslasuit?

Cadeira interativa hiperconectada

Outro projeto que conquistou os holofotes gamers foi a Ergonomics Computer Workshop, uma espécie de cadeira hiperconectada. O aparelho é equipado com telas de última geração, um sofisticado sistema de som e um espaço para o teclado e o mouse, oferecendo uma experiência única.

Além disso, conforme os efeitos da partida, ela proporciona movimentos, conforto e uma interação mais intensa, fazendo o jogador se sentir, literalmente, no jogo.

Jogue com a melhor internet que você merece

É, o futuro dos games está aqui. E, para acompanhá-lo, você precisa de uma internet tão boa quanto seus jogos. Com a Copel Telecom, você tem uma conexão estável e veloz, já que conta com a tecnologia da fibra óptica. Conheça nossos planos clicando aqui e comece a jogar agora!

Fontes:

https://www.viar360.com/future-virtual-reality-video-games/

https://www.lavanguardia.com/videojuegos/20190506/462066863244/videojuegos-project-xcloud-microsoft-streaming-beta-pruebas-inertnas-publico-lanzamiento.html