Com a adaptação do Brasil à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), muito se fala sobre lidar com os dados de forma responsável e transparente. E é exatamente isso que o WhatsApp está fazendo: lidando com a situação com extrema transparência. Afinal, o aplicativo de mensagens mais popular do mundo anunciou, em sua nova política de privacidade, que os dados dos usuários seriam compartilhados com o Facebook. É claro que muita gente não gostou da medida e optou por não aceitar as mudanças. O problema é que quem não concorda – e consequentemente não aceita – não consegue mais usar a ferramenta.

Em primeiro momento, a nova medida entraria em vigor em fevereiro, mas com inúmeras polêmicas envolvendo o tema, o WhatsApp alterou a data para maio. Mesmo assim, muitas pessoas já estão pensando em sair de vez do aplicativo e buscando alternativas que priorizam a privacidade. 

Telegram ou Signal?

Com isso, dois aplicativos estão sendo cotados como os principais para quem decidiu abandonar de vez o WhatsApp: o Telegram e o Signal, duas ferramentas que não tem relação com o Facebook e afirmam tratar os dados com bastante responsabilidade.

O Telegram, aplicativo dos mesmos criadores da maior rede social russa, já ganha adeptos no Brasil há algum tempo. A outra opção, o Signal, é administrada por uma organização sem fins lucrativos – o que parece ser uma possibilidade bem mais segura.

Qual é mais seguro?

Sem dúvidas, a maior preocupação de quem busca substituir o WhatsApp é a privacidade e segurança. Quando se trata do Telegram, a plataforma tem um sistema que criptografa as mensagens privadas e em grupos que são armazenadas na nuvem do aplicativo. Um dos pontos altos da opção é a criptografia de ponta a ponta, mas ela está disponível apenas nos chats secretos, onde você é notificado quando alguém tira print da conversa.

Por outro lado, a criptografia de ponta a ponta é um padrão adotado pelo Signal. Por lá, até os metadados são protegidos. Como se não bastasse, a privacidade parece ser uma prioridade para a plataforma, já que ela oferece diversas opções de segurança, como o bloqueio de captura de tela, exclusão automática de mensagens após leitura e desfoque de rostos em fotos enviadas pelo aplicativo.

O que mais eles oferecem?

Os recursos do Telegram são muitos e chamam atenção dos usuários. Por lá, é possível criar enquetes e enviar arquivos de até 2GB! Além disso, é possível enviar mensagens autodestrutivas e criar grupos de conversa com até 200 mil pessoas. Bastante coisa, né? Tudo para gerar uma maior interação entre os seus usuários.

Já o foco do Signal está mesmo na privacidade e não conta com tantas funções como o concorrente. Ele acaba sendo bastante similar ao WhatsApp, já que entre os seus recursos estão chamadas de áudio e vídeo, conversas em grupos e compartilhamento de arquivos. O diferencial é que o aplicativo pode ser usado como o padrão de SMS no celular.

Qual é melhor?

Agora você precisa tomar uma decisão. Qual a sua prioridade: segurança ou recursos? Se você quer novas funcionalidades, o Telegram é uma opção mais segura e com uma base maior de usuários. Já o Signal é perfeito para quem quer o máximo da privacidade, como Elon Musk que está na lista de usuários da ferramenta.

Não quer ficar de fora das maiores novidades da Internet? Aposte no pacote de banda larga 100% fibra óptica da Copel Telecom!