Já faz um tempo que o Facebook e o Instagram apresentaram o Rights Manager, ferramenta que fiscaliza o uso indevido de vídeos e músicas que têm proteção por copyright. Mas o cuidado das plataformas com o conteúdo publicado não parou por aí. Agora, o Right Manager também permite a reivindicação do direito de imagem.

A novidade, que já foi liberada para alguns parceiros do Facebook, confirma se determinada foto pode ser usada em perfis e páginas das plataformas. Ainda em fase de testes, a ferramenta não tem uma previsão para ser liberada para o público em geral.

A importância do Rights Manager

Você já ouviu que a “Internet não tem dono” ou que é “terra de ninguém”, né? Mas na prática não é bem assim. Os conteúdos publicados tanto no Facebook quando no Instagram tem uma pessoa por trás que, muitas vezes, não recebe o devido crédito ou pagamento pela criação. 

Para isso, a novidade, que poderá  ser encontrada dentro do Creator Studio, acaba sendo essencial para quem costuma publicar fotos autorais nas redes sociais. Assim que liberada ao público, a ferramenta deve permitir a criação de um arquivo com imagens e decidir qual delas serão liberadas para outras pessoas, quais terão a exibição bloqueada em determinados locais e até mesmo quais serão derrubadas caso encontradas nos posts de outros usuários e páginas. Com isso, assim que a foto for publicada, o Facebook vai atribuir o direito da imagem à pessoa, que será devidamente protegida conforme as especificações do criador.

E mais! Caso os direitos sobre um conteúdo sejam reivindicados por mais de uma pessoa, a ferramenta inicia uma espécie de disputa para avaliar quem é o verdadeiro detentor da imagem, que poderá seguir controlando o uso da foto. Caso não seja encontrado um acordo, é possível fazer um denúncia por violação ou infração de direitos na própria plataforma.

Já quer fazer parte do recurso?

Por mais que o Rights Manager ainda não esteja liberado, já é possível realizar uma inscrição para quem deseja usar a ferramenta no futuro. Por enquanto, os usuários já podem indicar quem vai ser o responsável pela autoria da foto, se é uma empresa, um criador de conteúdo ou até mesmo um representante legal. Também já dá para selecionar o tipo de conteúdo e com qual frequência ele deve ser publicado.

Por mais que pareça um recurso para poucos usuários, a verdadeira intenção do Facebook e do Instagram é incentivar a criação de conteúdo original. Mesmo assim, a pressão para publicações autênticas enfrenta um problema: os memes. Como, normalmente, eles usam fotos de terceiros, seriam barrados nas redes e, como consequência, diminuiria a grande audiência gerada pelo formato de conteúdo.

Resta aguardar a finalização da fase de testes e entender como o Rights Manager vai afetar, de fato, a rotina dos criadores de conteúdo das plataformas.

Para aproveitar o melhor que as redes sociais tem para oferecer, a dica é apostar na melhor banda larga do Paraná: Copel Telecom, é claro!