Os adeptos do MSN já usam emojis quando eles ainda se chamavam emoticons. A antiga ferramenta de mensagem já trazia os desenhos para facilitar a comunicação digital. Agora, repaginados e com um novo nome, eles são um elemento necessário para deixar a troca de mensagens mais divertida.

A evolução das tão famosas carinhas acompanhou as transformações tecnológicas. Há dez anos, o MSN e os emoticons deixaram de fazer parte das rotinas para a entrada dos emojis e ferramentas como o Whatsapp. Entre pedidos e polêmicas, os desenhos passaram por inúmeras adequações na última década, novas opções surgiram, muitas saíram do ar e os mais diferentes grupos passaram a se sentir representados pela ferramenta!

As principais mudanças dos emojis

Mesmo sendo criados em 1999, os emojis se tornaram sucesso absoluto quando adotaram o padrão Unicode, sistema responsável pela liberação dos ícones para sistemas operacionais como Android e iOS. Com o sucesso da troca de emojis via smartphone, a ferramenta ganhou pacotes próprios em 2015 e, com isso, passou a receber inúmeras alterações e novidades.

Entre as principais, está o aumento da representatividade nos ícones. As figuras humanas, que originalmente eram amarelas, ganharam novos tons de pele para representar diversos grupos étnicos. Além disso, várias opções sexuais também entraram na ferramenta. Em 2015, famílias homoafetivas ganharam ilustrações e, no ano seguinte, questões de gênero passaram a fazer parte com uma figura neutra, que retrata uma pessoa além do feminino e masculino.

Por fim, a acessibilidade ganhou sua vez. Em 2019, emojis como pessoa com bengala, cão-guia, orelha com aparelho auditivo e em cadeira de rodas e braço e perna mecânica são exemplos de figurinhas criadas para aumentar a representatividade.

Uma das últimas – e mais inclusivas – alterações foi a possibilidade de criar o seu próprio emoji e garantir a representatividade.

Polêmicas

Por mais que seja uma forma interessante de comunicação, os emojis trazem conotações diferentes das estabelecidas pelos criadores. Como exemplo, alguns desenhos simples ganharam uma interpretação sexual, como o emoji de pêssego, banana,  berinjela, cereja e gotas de suor. Para frear o uso indevido das figurinhas, o Instagram começou a banir, em 2019, comentários com os emojis sugestivos, a fim de evitar propostas sexuais implícitas.

Outra polêmica acarretou na mudança do design de alguns elementos. O emoji de revólver foi um dos mais modificados. Por parecer uma arma real, os desenvolvedores trocaram por uma pistola de água para evitar incentivos violentos.

Por outro lado, figuras aparentemente inofensivas tiveram que sofrer mudanças no visual. Usuários reclamaram que o emoji de bagel era pouco apetitoso e muito artificial. Já a comunidade vegana pediu a retirada do ovo cozinho no emoji de salada. Já o desenho do hambúrguer precisou ser alterado pelo simples fato de apresentar a fatia de queijo embaixo da carne.

Mesmo com polêmicas, a febre dos emojis é tão alta que os desenhos ganharam até filme. 

Para ficar por dentro de todas as novidades e recursos que envolvem a internet, garanta a melhor banda larga do mercado: a da Copel!