Os carregadores costumam causar polêmicas entre seus usuários, seja pela baixa durabilidade ou por sua fragilidade. O acessório já chegou a, inclusive, ser uma compra separada do smartphone, não estando incluído no preço do aparelho.

Mas o futuro dos carregadores reserva novas possibilidades bem interessantes. Os carregadores GaN são a maior esperança do mercado e devem ganhar força ainda em 2021.

Mas o que é GaN?

Feito com nitreto de gálio, um material semicondutor, a novidade oferece adaptadores de tomada mais potentes, que não geram muito calor e são capazes de conduzir altas tensões. Além disso, por não precisarem de muitos componentes, o tamanho dos carregadores GaN é bem menor do que os tradicionais.

A tecnologia se tornou popular nos anos 1990 e, nos últimos anos, foi bastante usada para a fabricação de LEDs e está presente em aparelhos Blu-Ray e em matrizes de células solares em satélites.

Novas possibilidades

Mais do que melhorar a realidade dos carregadores, a tecnologia GaN pode substituir o silício, material usado desde os anos 1980 para conduzir eletricidade a um custo mais baixo. Os transistores feitos com o material se desenvolveram bastante nos últimos tempos e, hoje, vivem o seu pico, descartando as esperanças para diferentes avanços.

Por isso, o GaN é uma das melhores alternativas para estes transistores, já que as correntes elétricas atravessam mais rápido em componentes feitos em nitreto de gálio do que em silício. Assim, o resultado é processamento veloz, gerando menor calor e com muito mais eficiência.

Outro ponto positivo da tecnologia é o tamanho. A fabricante americana HYPER lançou o HyperJuice, primeiro carregador GaN com 100W com um tamanho surpreendente: o de um cartão de crédito! Ou seja, a metade do tamanho dos carregadores tradicionais!

Isso é possível por causa da eficiência do produto em si: por contar com componentes muito eficientes, o carregador não precisa de uma grande quantidade de peças. Esta eficiência é possível porque o nitreto de gálio tem um intervalo de energia livre de elétrons maior do que o silício em até mil vezes. Deste modo, ele conduz eletricidade com facilidade e ainda suporta grandes tensões e altas temperaturas.

E o preço?

Muitos dizem que os carregadores GaN são melhores do que os tradicionais em todas as características analisadas, deixando apenas uma para trás: o preço.

Segundo alguns fabricantes de GaN, os custos de fabricação da tecnologia são baixos, já que precisam de menos componentes. Mesmo assim, o preço das opções GaN são mais altas que os tradicionais. Mas isso é uma questão de tempo, já que a tendência é que o preço diminua conforme o dispositivo vá se popularizando. A previsão é que a produção em larga escala dos carregadores GaN aconteça apenas quando grandes empresas passarem a produzir esta tecnologia.

Fique por dentro de todas as novidades do mundo da tecnologia com a Internet Banda Larga 100% Fibra Óptica da Copel Telecom!