Há tempos sair de casa já não é mais uma realidade necessária para quem precisa comprar alguma coisa. Seja para comprar algo que ficou faltando nas compras de mercado, para garantir aquele presente especial ou apenas para passar o tempo e comprar alguma coisa para você mesmo, a Internet é a solução para quem não gosta de shoppings, filas ou contato social. 

Por mais que a pandemia do Covid-19 tenha mudado um pouco a situação, muitos ainda não tenham se adaptaram ao modelo de compras. Entre os motivos, está a falta de confiança no digital ou a necessidade de conferir o produto pessoalmente antes de efetuar a compra. Mesmo assim, é fato que o consumo online faz parte de vida de todos.

Um dos responsáveis pelo crescimento do modelo foi a modalidade “shop” dentro de algumas redes sociais. 

Como tudo começou

Mesmo com o MarketPlace do Facebook, a primeira rede social a contar com uma loja própria foi o Instagram. 

O Instagram Shop foi lançado oficialmente em julho de 2020 e deu um salto no que diz respeito ao conteúdo disponibilizado por lá. Afinal, os perfis poderiam contar com uma nova aba. Hoje, uma conta pode ter sua página de feed, IGTV, reels, shop, filtro e fotos marcadas. É bastante coisa, né?

No caso, o Shop reúne os produtos de uma marca ou criador de conteúdo, que ainda podem ser encontrados na aba Explorar. Assim, é possível encontrar um catálogo de itens personalizado com base nas suas interações na rede social.

A vitrine digital conta com fotos, preços e detalhes técnicos, além de permitir salvar os itens em uma lista de desejos. Para fazer parte como loja, basta ter um perfil comercial vinculado a uma página do Facebook.

Crescimento (in)esperado

Em poucos meses, o Instagram atingiu bons resultados com a ferramenta e surgiu com novidades para os usuários. Entre os destaques, uma nova opção de checkout rápido e na próxima rede social, isenção de taxa de vendas, novas opções de comunicação entre cliente e marca e o Instagram Live Shopping, que traz a possibilidade de exibir os produtos em um vídeo ao vivo enquanto os consumidores efetuam a compra.

O sucesso chegou a outras redes

Com o crescimento do e-commerce nos últimos meses, o Facebook também levou a funcionalidade para a sua plataforma. O Facebook Shop é semelhante ao recurso do Instagram, mas conta com novo layout para apresentar os produtos, visualização em tempo real de coleções, possibilidade de criar lojas automaticamente para novos vendedores e novos insights para medir os resultados no Commerce Manager.

Por enquanto, a ferramenta está disponível apenas nos Estados Unidos.

A mais recente novidade é o suporte para compras dentro do WhatsApp, ou seja, os lojistas vão conseguir vender os produtos por meio de redes sociais. A ferramenta ganha peso quando visto que mais de 175 milhões de pessoas interagem com empresas no WhatsApp diariamente, segundo Matt Idema, diretor de operações do aplicativo.

Para facilitar o uso da ferramenta por contas profissionais, o WhatsApp ainda deve lançar um novo recurso que permite o acesso de uma única conta em até 4 dispositivos diferentes.

Com estas facilidades, a compra virtual ganha ainda mais peso e segurança. Já é adepto ao modelo? Não corra o risco de perder as compras do seu carrinho! Conte com a ajuda da fibra óptica da Copel e não se preocupe com instabilidades! Conheça nossos planos.